COLÓQUIOS DO GRUPEM: O BEBÊ E A MÚSICA

Segundo encontro dos “Colóquios do Grupem: O Bebê e a Música” aborda o tema “Estímulos Musicais Durante a Gestação”

     Com muita alegria, no dia 24 de abril de 2021, realizamos pelo aplicativo de videoconferência Google Meet o segundo encontro do grupo de estudos denominado “Colóquios do Grupem: O Bebê e a Música”. A proposta é de que cada tema seja conduzido pelos participantes previamente definidos, tendo o suporte de uma dupla de organizadores, os quais auxiliarão na disponibilização dos materiais e mediação do debate. Neste dia o tema foi “Os Estímulos Musicais Durante a Gestação”, o qual foi conduzido pelas participantes Débora e Sara, tendo como mediadores as coordenadoras Djeniffer Heinzmann Chassot e Fabiane Araujo Chaves.

segundo encontro dos coloquios.jpg

Foto print da apresentação dos textos, realizada pelas participantes.

     Como leitura obrigatória, foram indicados os seguintes textos:

  •  “Bebês também entendem de música: a percepção e a cognição musical no primeiro ano de vida” (ILARI, 2002).

  • “Como o estímulo musical é percebido e estruturado pelo organismo humano do pré-natal ao segundo ano de vida pós-natal – resultados parciais de uma pesquisa em andamento” (JABER, 2012).

 

      A partir da apresentação do material, utilizando slides em PowerPoint, os participantes debateram sobre o tema, produzindo reflexões importantes. Algumas delas são as seguintes:

O ambiente uterino e o bebê:

  •  22º dia de gestação: Começo do desenvolvimento do ouvido humano;

  •  32ª semana: Sistema auditivo completo;

  •  O útero materno não é silencioso e isolado do ambiente externo e, por isso, o feto não é alheio a estímulos;

  • Contém sons constantes de frequências baixas, sons cardiovasculares, intestinais e placentários. Estes constituem um fundo acústico no qual outros sons externos emergem e podem ser reconhecidos.

E, ao contrário do que muitos pensam:

  • Os bebês não são passivos aos sons do ambiente acústico uterino;

  • Reconhecem a voz materna e as histórias;

  • Há mudanças nos batimentos cardíacos dos bebês, quando expostos à música que ouviam durante a gravidez.

A percepção e a cognição musical no primeiro ano de vida:

  • O bebê passa por um estresse na transição da vida intrauterina para a extrauterina;

  • A música é percebida de uma maneira diferente, como uma estrutura audível, distinta do barulho desorganizado que os rodeia nos primeiros meses de vida.

Percepção de alturas musicais e contornos melódicos:

  • 3º trimestre de gravidez /3º mês de vida pós-natal: preferem e escutam com mais facilidade notas e sons graves;

 

  • 6 meses: a capacidade de ouvir sons agudos melhora;

  • 2 anos - audição para agudos semelhante à de um adulto normal;

 

  • Os contornos melódicos são importantes porque carregam o afeto da fala materna e também das canções de ninar.

Percepção harmônica:

  • Antes de completar um ano de vida, os bebês fazem distinções entre acordes consonantes e dissonantes e preferem escutar acordes consonantes;

  • Bebês têm uma certa preferência por harmonias simples em oposição àquelas demasiadamente complexas.

Timbre:

  • Apesar de o timbre ser um elemento musical de fácil discriminação para as crianças pequenas, pouco se sabe sobre a percepção do bebê com relação à diferenciação dos sons dos instrumentos musicais

Ritmo e tempo musical:

  • Antes mesmo de completar um ano de idade, os bebês conseguem distinguir células rítmicas contrastantes e fórmulas de compasso distintas, habilidades que tendem a melhorar com o desenvolvimento.

Então...

  • É possível que o bebê encontre na música características que o fazem experimentar novamente a estabilidade sonora do útero materno, o que poderia ajudar a explicar essa predisposição infantil para processar sons musicais;

  • Podemos sugerir que a estabilidade sonora que a música oferece (proveniente de pulso, constância, organização sonora), remete o bebê às experiências sonoras vivenciadas no útero.

participantes do segundo encontro.jpg

 Captura de tela dos participantes do encontro, pelo Google Meet.

      Para quem tiver interesse, a gravação do encontro está disponível em nosso Canal do YouTube ”Educação Musical Diferentes Tempos e Espaços”, sendo possível o acesso em qualquer momento, acessando o link:

 

https://youtu.be/HniLFDA0UrY.

     

Referências:

ILARI, Beatriz Senoi. Bebês também entendem de música: a percepção e a cognição musical no primeiro ano de vida. Revista da ABEM, v. 7, p. 83-90. 2002.

 

JABER, Maíra dos Santos. Como o estímulo musical é percebido e estruturado pelo organismo humano do pré-natal ao segundo ano de vida pós-natal: resultados parciais de uma pesquisa em andamento. II SIMPOM. Anais... 2012, p. 500-512.

O próximo encontro será no dia 8 de maio de 2021, e a temática apresentada será “Contribuições da Música na Redução da Ansiedade em Mães de Prematuros”. Aguardem!

Publicado em: 06 de maio de 2021.

Escrito por: Carolina Cardoso da Silva Rosa, Fabiane Araujo Chaves e Tiago Rubert.

Edição: Djeniffer Heinzmann Chassot.

WhatsApp Image 2021-03-25 at 20.31.21.jp

Quer saber mais sobre os colóquios?